top of page

Veja os requisitos para viajar a países das Américas e UE

03/03/2022


Como avanço da vacinação no mundo todo e a reabertura das fronteiras, os governos estabeleceram alguns requisitos para que os turistas ingressem em seus territórios. Com informações do Ladevi, parceiro da PANROTAS na Argentina, conheça os requisitos dos principais destinos da América do Sul, do Norte e Europa.

Conheça os requisitos para ingressar nos principais destinos da América do Sul, do Norte e União Europeia (Foto: AdobeStock)

Fonte: Panrotas



ARGENTINA

  • Passageiros com o calendário de vacinação completo não precisam apresentar teste negativo;

  • Passageiros que tiveram covid-19 nos 90 dias anteriores à viagem podem apresentar atestado de alta médica e PCR positivo de 14 dias ou mais antes da viagem;

  • Os viajantes que não forem cidadãos argentinos ou residentes e são maiores de idade também devem apresentar um certificado de vacinação que comprove que completou o esquema pelo menos 14 dias antes de entrar;

  • Os estrangeiros devem ter seguro saúde que cubra covid-19 com serviços de hospitalização, isolamento e/ou transferências médicas para casos positivos, suspeitos ou em contatos próximos;

  • Os viajantes devem ter um passaporte sanitário por 14 dias após a chegada.


CHILE

  • Declaração juramentada. É processado online em https://c19.cl/. Se a viagem inclui crianças com menos de 6 anos, devem ser colocadas na declaração. Se o turista estiver viajando com pessoas com mais de 6 anos de idade, elas não podem ser incluídas e terão de fazer sua própria declaração;

  • Passe de Mobilidade (homologação da vacina): documento que atesta que a pessoa não está em isolamento obrigatório e que possui seu calendário de vacinação completo (será solicitado em restaurantes, lojas, supermercados, entre outros). É processado on-line em mevacuno.gob.cl e demora entre 15 e 30 dias;

  • Teste PCR negativo até 72 horas. antes de embarcar;

  • Seguro médico de viagem com cobertura mínima de US$ 30 mil;

  • Ao entrar no país, será realizado um teste de detecção de coronavírus (PCR ou antígeno) e o Mobility Pass será desativado até que o Ministério da Saúde receba o resultado negativo do PCR do laboratório. Caso o teste seja realizado com antígenos, deve-se aguardar no ponto de entrada até obter o resultado do teste, se for positivo, o viajante será declarado inadmissível ao país;

  • No caso de PCR, o turista deve ficar em quarentena em um endereço informado na declaração, até receber o resultado negativo do teste;

  • Para chegar a esse local, são permitidas conexões de voos domésticos, mesmo que o viajante ainda não tenha recebido o resultado negativo do teste de detecção de coronavírus realizado na admissão;

  • Os passageiros que entram no país devem preencher um formulário de auto relato de sintomas por sete dias, onde devem preencher uma pesquisa de estado de saúde e localização. No caso de sair do país antes de completar os sete dias, deverá continuar a preencher o auto relato até ao final do referido período;

  • Crianças turistas menores de 6 anos que não puderam ter acesso à vacinação podem entrar sem precisar de um passe de mobilidade chileno.


COLÔMBIA

  • O esquema de vacinação deve ser concluído a menos de 14 dias da data de embarque ou o passageiro recebeu dose única, o viajante deve apresentar PCR com resultado negativo (deve ser realizado em até 72 horas do voo) ou antígenos (48 horas antes). A medida se aplica apenas a maiores de 18 anos;

  • Além disso, a exigência de pré-registro de migração exigida pela Colômbia continuará em vigor;

  • De acordo com a referida resolução, não é permitida a entrada de estrangeiros não vacinados no país. A política não se aplica a residentes estrangeiros ou diplomatas;

  • As vacinas aceitas na Colômbia são: Pfizer, Moderna, AtraZeneca, Jansenn, Sinopharm, Sinovac, Zydus, Sputnik V, Cansino, Bektop, Novavax, ZFSW, Soberana 2, Soberana Plus, Abdala, Bharat Biotech, Medigen e Covaxina.


ESPANHA

  • O viajante deve preencher o Formulário de Controle Sanitário (FCS), disponível em Spain Travel Health;

  • Ter um calendário de vacinação completo;

  • No caso de viagens excepcionais (não para turismo), pelo menos um dos seguintes requisitos pode ser atendido: certificado de vacinação com as doses autorizadas; certificado de diagnóstico indicando resultado negativo (PCR nas 72 horas anteriores ou teste de antígeno nas 48 horas anteriores à viagem); o certificado de recuperação indicando que o passageiro se recuperou do covid-19;

  • Crianças menores de 12 anos estão isentas do cumprimento de requisitos específicos de entrada;

  • Entre as exigências, o destino requer que os viajantes sejam vacinados com o calendário completo de qualquer uma das doses aprovadas pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA) ou constam na lista de emergência da Organização Mundial da Saúde (OMS). Nesse sentido, as vacinas aprovadas são Pfizer, Moderna, AstraZeneca, Janssen, Sinopharm e Sinovac-Coronavac;

  • Vale a pena endossar a novidade que a Espanha inclui dentro dos certificados de entrada válidos, aqueles cuja terceira dose corresponde a uma das vacinas mencionadas, independentemente das doses anteriores.


ESTADOS UNIDOS

  • Os viajantes devem apresentar comprovação de que estão totalmente vacinados contra a covid-19 antes de viajar de avião para os Estados Unidos;

  • Viajantes com dois anos de idade ou mais devem fazer um teste viral (independentemente do status de vacinação) no máximo um dia antes da viagem. Os testes de PCR, bem como os testes de antígeno, são válidos. O viajante deve apresentar o resultado negativo do teste de triagem à companhia aérea antes do embarque;

  • O uso de máscara que cubra a boca e o nariz é obrigatório nos transportes públicos (como aviões) que chegam ou saem dos Estados Unidos;

  • Os passageiros aéreos também serão obrigados a confirmar na forma de uma declaração juramentada que as informações que enviarem são verdadeiras.


O que é considerado um calendário completo de vacinação nos EUA?

14 dias após receber a dose de uma vacina de dose única aceita;

14 dias após receber a segunda dose de uma vacina aceita de duas doses;

14 dias após completar o esquema vacinal com uma vacina contra a covid-19 aceita em ensaio clínico;

14 dias após receber duas doses de qualquer combinação de vacinas aceitas que tenham sido administradas com pelo menos 17 dias de intervalo;

Se esses critérios não forem atendidos, o passageiro não será considerado totalmente vacinado. No momento não é necessário ter a dose de reforço para atender a esse requisito.


FRANÇA

  • Os viajantes devem ter um calendário de vacinação completo com uma vacina reconhecida pela EMA;

  • Pessoas que tenham um "motivo imperativo" também podem entrar, segundo os critérios do governo francês;

  • Todos os viajantes poderão realizar um teste de antígeno na chegada ao território francês, de forma aleatória;

  • Enquanto o Brasil permanecer na lista laranja, os brasileiros que não tiverem uma vacina válida não poderão entrar na França; exceto nos casos “imperativos”, onde também são solicitadas uma quarentena de sete dias e um teste no final desse período;

  • Para a França, a vacinação completa é válida por quatro meses no caso das duas primeiras doses. Em seguida, os interessados devem apresentar uma dose de reforço. Caso contrário, serão considerados como “não vacinados”.


ITÁLIA

  • A partir de 1º de março, viajantes provenientes do Brasil não precisaram cumprir quarentena na chegada;

  • Para entrar na Itália, uma das condições do passe verde básico será suficiente: certificado de vacinação, certificado de recuperação ou teste negativo;

  • A partir de abril, os turistas estrangeiros não terão a obrigação de um Super Green Pass reforçado já que não será necessário estar curado ou vacinado contra o covid. O certificado verde simples também será suficiente;

  • A certificação verde deve conter os seguintes conteúdos: dados de identificação do portador (nome, sobrenome e data de nascimento); dados relativos à vacina (nome e lote); data(s) de administração da vacina; e dados de identificação da pessoa que emitiu o certificado (estado, autoridade sanitária);

  • O certificado de vacinação, em papel e/ou formato digital, deve ser elaborado em pelo menos um dos seguintes idiomas: italiano, inglês, francês, espanhol ou alemão.

  • Caso de estrangeiros sujeitos a vacinas não autorizadas pela EMA: As pessoas vacinadas no exterior com uma vacina não autorizada pela EMA (Agência Europeia de Medicamentos) podem receber uma dose de reforço com a vacina m-RNA (Pfizer ou Moderna) a partir de 28 dias e até um máximo de 6 meses (180 dias) a partir da conclusão do ciclo primário. A conclusão deste ciclo integrado de vacinação é reconhecida como equivalente.

  • As vacinas aceitas pela Itália são AstraZeneca, Janssen e Pfizer. Os brasileiros completamente vacinados com Coronavac que têm dose de reforço de Pfizer ou Janssen também serão aceitos.


PARAGUAI

  • Formulário de declaração de saúde do viajante: maiores de 12 anos devem preencher o formulário em até 24 horas antes de entrar no país;

  • Certificado de vacinação contra a covid-19: maiores de 18 anos devem apresentar certificado de vacinação com esquema completo para entrar no país. Não serão aceitos comprovantes de vacinação indicando dados em formato de código QR ou em qualquer outro idioma codificado;

  • Vale ressaltar que os viajantes residentes provenientes da Argentina, Brasil, Uruguai e Bolívia estão dispensados de apresentar um teste PCR antes de entrar;

  • Os viajantes considerados vacinados são aqueles que completaram duas semanas após receber a segunda dose em esquema de vacinação de duas doses e aqueles que receberam uma dose em esquema de vacinação de dose única;

  • As pessoas não vacinadas devem ficar isoladas por dez dias. No quinto dia, um teste de PCR deve ser realizado. Se o resultado for negativo, eles podem encerrar o isolamento;

  • Da mesma forma, pessoas não vacinadas podem solicitar a entrada se forem "investidores, empresários e técnicos especializados que precisem entrar no país por um período máximo de sete dias".


PERU

  • Todos os viajantes devem preencher previamente o Atestado de Saúde em até 72 horas antes da viagem. O registro é individual e, no caso de menor, é realizado pelo responsável. A apresentação do documento, seja virtual ou impresso, é imprescindível para o embarque pela companhia aérea;

  • Os turistas com 12 anos ou mais devem comprovar que completaram as doses de vacinação contra a covid-19, 14 dias antes do embarque em seu ponto de origem. No entanto, os menores de 12 anos só precisam estar assintomáticos no momento do embarque;

  • O uso de máscara dupla (ou máscara com alta capacidade de filtragem, como N95, KN95, FFP2 e KF94) é obrigatório para embarcar, viajar e entrar no Peru em um voo comercial. Crianças menores de dois anos estão isentas do uso do item;

  • Se os viajantes apresentarem sintomas ao entrar no Peru, devem iniciar um isolamento obrigatório por 14 dias;

  • No caso de não ter completado as doses de vacinação, o turista deve apresentar um teste molecular negativo (PCR) com data de resultado não superior a 48 horas antes do horário de embarque no ponto de origem.


URUGUAI

  • Certificado de vacinação com uma ou duas doses contra a covid-19 aprovadas no país de origem, dentro dos últimos nove meses prévios ao embarque. No caso de ter uma terceira dose, a imunidade efetiva é contada a partir de sete dias após esta última dose;

  • Teste prévio à entrada: comprovar resultado negativo do teste PCR, realizado até 72 horas antes do início da viagem. Caso a entrada no país seja por meio de companhia aérea, o credenciamento do teste negativo deve ser realizado antes do embarque junto à empresa correspondente;

  • Cobertura de saúde no Uruguai;

  • Declaração juramentada: preencher o formulário eletrônico exigido pelo Uruguai dentro de 48 horas antes do embarque.


*Atualização em 3 de março: a Argentina não cobra mais o teste PCR para viajantes completamente vacinados de países vizinhos.

0 comentário

Comments


bottom of page