top of page

Gol atinge marca de um voo em Congonhas a cada 4 minutos; corporativo chega a 70% de 2019

26/04/2023


Notícia: Mercado&Evento


Gol atinge marca de um voo em Congonhas a cada 4 minutos; corporativo chega a 70% de 2019 (foto: AdobeStock)

O patamar recorde de receita conquistado pela Gol neste primeiro trimestre de 2023, com direito até a lucro líquido, reflete a força da demanda e o impulso contínuo nas vendas de fontes auxiliares. A companhia fortaleceu os principais hubs de operação, manteve margens elevadas e aumentou as receitas nas unidades de negócio Smiles e Gollog em 31% e 79% respectivamente em relação ao 1T22. Ao todo, a Gol faturou R$ 5,4 bilhões, cerca de 33% superior ao 1T22.


No mercado doméstico, a companhia aumentou rotas e frequências. No aeroporto de Congonhas (CGH), uma aeronave da Gol pousa ou decola a cada quatro minutos, oferecendo diversas frequências para os seus clientes, especialmente os corporativos. No mercado regional, a companhia passou a oferecer voos com suas aeronaves Boeing 737 em Juiz de Fora, que anteriormente eram operados por parceiros com aeronaves de menor porte.


No mercado internacional, a Gol continua retomando a sua capacidade por meio do aumento da oferta na Argentina e nos Estados Unidos, e por meio de novas parcerias. O mais novo acordo de codeshare é com a TAAG Linhas Aéreas de Angola, a maior companhia da Angola que atualmente tem cinco frequências semanais para São Paulo e conta com 13 destinos internacionais.


“Temos obtido resultados importantes com a disciplinada gestão da capacidade, alavancada pela flexibilidade do nosso modelo de negócio de frota padronizada. Neste trimestre fizemos ajustes em nossa malha de Congonhas, Brasília e Rio de Janeiro, além de expandir operações com os nossos jatos Boeing 737 em certos mercados regionais, buscando não apenas oferecer um melhor produto aos nossos clientes, mas também impulsionar nossa eficiência operacional”, diz Celso Ferrer, diretor-presidente da Gol.


CORPORATIVO ATINGE 70% DO PRÉ-PANDEMIA – O crescimento da receita continua impulsionado pela forte demanda dos clientes. A melhora nas viagens de negócios foi liderada pela demanda de pequenas e médias empresas, cujas reservas cresceram no 1T23 e recuperaram em relação aos patamares do 1T19. A recuperação das vendas corporativas domésticas nesse primeiro trimestre do ano alcançou cerca de 70% em relação ao 1T19. As vendas internacionais, por sua vez, aceleraram sequencialmente em 24%, recuperando os patamares de 1T19.



0 comentário
bottom of page