top of page

Cruzeiros estão autorizados a operar no Brasil a partir de 1° de novembro

28/10/2021


A retomada dos cruzeiros deverá injetar R$ 2,5 bilhões na economia nacional e gerar cerca de 35 mil empregos (Foto: AdobeStock)

Os cruzeiros marítimos estão autorizados a operar na costa brasileira a partir da próxima segunda-feira (1). A portaria, assinada pelo ministro substituto da Saúde, Rodrigo Cruz, foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) nesta quinta-feira (28). A medida acontece três semanas depois do Mercado & Eventos ter dado em primeira mão a autorização da temporada por parte do governo brasileiro. A temporada deve injetar R$ 2,5 bilhões na economia nacional e gerar cerca de 35 mil empregos.


Os cruzeiros voltarão a navegar nas águas brasileiras entre novembro de 2021 e abril de 2022. Para a temporada 2021/2022, estão previstas sete embarcações, responsáveis por ofertar mais de 400 mil acomodações. Serão cerca de 130 roteiros e 570 escalas em destinos nacionais como Rio de Janeiro, Santos, Salvador, Angra dos Reis, Balneário Camboriú, Búzios, Cabo Frio, Fortaleza, Ilha Grande, Ilhabela, Ilhéus, Itajaí, Maceió, Porto Belo, Recife e Ubatuba.


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em breve deve divulgar um protocolo completo com as regras que devem ser seguidas pelas embarcações. Entre as principais medidas estão: testes pré-embarque em todos os hóspedes, com triagem rigorosa; tripulantes vacinados, com três testes antes de entrar em serviço e quarentena; uso de máscaras, distanciamento, ocupação reduzida, ar fresco sem recirculação, desinfecção e higienização constantes.


O texto publicado no Diário Oficial diz que os viajantes a bordo com sintomas devem procurar a equipe médica da embarcação para realizar o teste de covid-19 e se manter isolado de todas as outras pessoas. Quem testar positivo, detectável ou reagente, terá que ficar isolado em uma cabine específica para essa finalidade. A quarentena terá que durar 10 dias para quadros leves e 20 dias para os mais graves, contados a partir do primeiro dia de sintomas.


0 comentário

Comments


bottom of page